Inicio
Amsterdam
Assis
Atenas
Barcelona
Bath
Berlin
Biarritz
Blackpool
Bordeaux
Bratislava
Brighton
Brugge
Bruxelas
Budapeste
Cambridge
Cardiff
Chamonix
Chester
Copenhagen
Dusseldorf
Edinburgh
Estocolmo
Firenze
Frankfurt
Glasgow
Grenoble
Heildelberg
Helsinque
Innsbruck
Inverness
Istambul
Koln
Liechtenstein
Lisboa
Liverpool
Londres
Luxemburgo
Madri
Manchester
Milano
Monaco
Moscou
Munique
Nice
Oslo
Oxford
Paris
Portsmouth

Praga
Reims
Roma
Rouen
Salzburgh
San Malo
Sao Petersburgo
Talin
Toulouse
Varsovia
Veneza
Viena
Winchester
York
Zurich

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

Poucas cidades são tão amadas, pouquíssimas tem tanta personalidade e menos ainda são capazes de inspirar sonhos em pessoas de lugares tantos lugares. A cidade símbolo do romantismo continua a mesma desde a idade média. Veneza tem o poder de atrair pessoas de todos os cantos do mundo, pessoas que durante anos sonham um dia poder conhecê-la, e que, não raro ao chegar, mal conseguem conter a emoção. Canais cortados por pontes em arco, gôndolas deslizando em silêncio pelas águas, palácios medievais formam um conjunto sem igual, e transformaram este lugar num sonho, aquele que todo mundo tem: O desejo de visitar Veneza ao menos uma vez na vida.

   

O probleminha de Veneza é que como todo mundo tem o mesmo sonho, em temporadas turísticas, a cidade pode estar um pouco, como dizer... movimentada em excesso. Por isso, se sua visita for durante a alta temporada turística esteja pronto para dividir as ruas e canais de Veneza com milhares de outras pessoas. Esta é uma cidade pequena, na verdade uma ilha de uma lagoa - Lagoa de Veneza - a qual está separada do mar Adriático por um istmo. É um lugar para esquecermos dos carros e dos ônibus - eles não circulam em Veneza - e percorrermos tudo a pé, ou então no tradicional ônibus fluvial, o Vaporetto.

 

A Piazza de San Marco, onde foi feita esta foto, é o coração e alma de Veneza, e seu roteiro pela cidade pode incluir qualquer lugar, mas não pode deixar de passar nela. Nem todo turista sabe que esta praça abriga uma das cerimônias mais bonitas da cidade, por isso vale a pena acordar bem cedinho e chegar aqui antes da invasão dos turistas. Assista então à cerimônia de hasteamento da bandeira de Veneza, executada pelos Carabinieri. Ao término da cerimônia o toque especial é dado pelas badaladas do sino da torre da Campanille, que fica bem ao lado. Este é um momento tão emocionante que chega a arrepiar. Ao fundo da foto acima estão as mesinhas e cadeiras amarelas do restaurante onde na véspera jantamos a luz de velas ao som de um conjunto composto de piano, acordeom e contrabaixo, executando típica música italiana, num daqueles momentos românticos inesquecíveis.

Vídeo: Cerimônia da Bandeira

À noite não deixe de voltar nesta mesma praça, para um fecho de ouro de seu primeiro dia em Veneza. A Piazza de San Marco é reduto de alguns dos melhores restaurantes da cidade, e mesmo se você quiser tomar apenas um café ou sorvete, este é sem dúvida o melhor ponto da cidade para isto. Um dos mais conhecidos endereços dessa praça é o restaurante Florian, local ideal para pedir um Cappucinno ou então uma daquelas deliciosas e enormes taças de sorvete Italiano.

Depois da cerimônia saia para caminhar pela cidade, visitando as igrejas, palácios e seu comércio tão típico quanto variado. Não é necessário estabelecer roteiros para percorrer Veneza, basta seguir em frente. Você vai passar por ruelas, atravessar estreitas pontes de pedestres, entrar em igrejas, passar por restaurantes, lojas, cruzar por centenas de turistas falando línguas que com certeza nunca ouviu antes e com certeza em determinado momento chegará ao Grande Canal (imagem ao lado) que corresponde mais ou menos à principal avenida da cidade. Este canal corta Veneza ao meio, é a principal e mais larga via de trânsito na cidade, e ao longo de suas margens há ancoradouro para gôndolas, bem como para embarcações maiores.

 

Para aproveitar Veneza ao máximo saíamos de nosso hotel antes das 7 horas, e caminhávamos todo o dia. A cidade é cortada por pequenos canais e ruelas e através deles se pode chegar a qualquer ponto. Somente três pontes cruzam o Grande Canal, a Ponte Degli Scalzi, a famosa Ponte di Rialto e a Ponte de l'Accademia. A foto ao lado foi tirada frente à Ponte di Rialto, em torno da qual está situado um dos principais trechos comerciais de Veneza. Suas portas verdes ainda estavam fechadas quando batemos esta foto, pois era muito cedo, mas durante o resto do dia todos os compartimentos são ocupados por comerciantes.

Vídeo: Próximo à Ponte di Rialto

 

Veneza tem duas grandes festas anuais, que ocorrem durante o Carnaval e no dia da Procissão da Cidade, esta última sempre no primeiro domingo de setembro. São as ocasiões mais bonitas para se visitar a cidade, embora como todo mundo pense a mesma coisa, ela fique incrivelmente cheia de turistas nestas datas. Durante o carnaval as ruas da cidade são tomadas por centenas de mascarados e luxuosas fantasias, quase todas ornamentadas com as máscaras enigmáticas que já se tornaram uma das marcas registradas dessa cidade. A outra grande festa de Veneza é quando acontece a Procissão do Grande Canal, realizada com a participação de gôndolas e embarcações maiores, ornamentadas com todas as cores e tripuladas por marinheiros vestindo as tradicionais roupas históricas da Veneza antiga. Ao lado, o Grande Canal no fim da tarde.

 

Às margens do Grande Canal há uma infinidade de palacetes dos séculos 17 e 18 que contam com detalhes toda a história de luxos e extravagâncias desta cidade. Um dos mais interessantes é o Palacio Ca'Rezzonico, com interior ricamente adornado. Merecem destaque seu salão de bailes e de recepções. Outro ponto luxuoso de Veneza é o Lido, a praia dos ricos e famosos, a pouca distância do centro. Vale a pena ir até lá para conhecer a arquitetura clássica de seus prédios e hotéis, e que serviram de locação para o clássico do cinema Morte em Veneza.

As hastes verticais mostradas na foto ao lado, encontradas em quase todos locais, são usadas como atracadouros das gôndolas e outras embarcações, os únicos meios de transporte permitidos na cidade, para quem não quiser percorrer a pé o labirinto de ruazinhas e becos da cidade.

Passear de gôndola ou de Vaporetto (o ônibus de Veneza), é ótimo, mas também não perca a oportunidade de caminhar pela cidade. Saia sem destino e perca-se por aquelas estreitas ruazinhas que a gente nunca sabe exatamente aonde vão levar. Não existe nada melhor para descobrir a fundo toda Veneza.

 

As gôndolas são o transporte mais comum na cidade, e estes "estacionamentos" estão em toda parte. Este fica na Piazza São Marco. O passeio de gôndola pelos canais de Veneza já é uma obrigação para quem visitar a cidade, mas é importante acertar primeiro com o gondoleiro um desconto, já que o custo do passeio de uma hora pode às vezes ser extorsivo. Depois pegue o táxi aquático, geralmente uma lancha, e vá até Murano, uma ilha próxima de Veneza.

A viagem de Veneza a Murano leva apenas 15 minutos, e lá você poderá conhecer a técnica secular de fabricar Vidro Soprado, ver os artesãos trabalhando e dando vida às formas mais belas de cristais coloridos, de todas as cores e tamanhos, e quem sabe, comprar algumas destas peças e levar de presente para alguém especial... 

 

A Campanile di San Marco, em destaque nesta foto, é a construção mais alta de Veneza. A torre originalmente construída para servir de orientação às embarcações que se aproximavam da cidade, ela agora é o melhor ponto de observação de Veneza. Por uma pequena taxa, pode-se pegar um elevador e subir até sua parte mais alta, onde estão aquelas janelinhas da fotografia. Não perca a chance de apreciar esta vista de tirar o fôlego. Os sinos deste campanário tocam a cada meia hora, e se isto acontecer enquanto você estiver lá em cima, certamente você vai ficar com uma lembrança sonora muito forte de Veneza...

Ao fundo desta foto, no lado direito, aparece parte da Basílica de San Marco. Dentre as quase 100 igrejas existentes na cidade, esta é a principal e uma visita obrigatória. Construída no ano 830, em estilo oriental, para abrigar os restos mortais de São Marcos, padroeiro de Veneza, seu interior é belíssimo.

Vídeo: Veneza vista do alto da Campanile de San Marco

 

Há séculos atrás, quando Veneza era uma cidade-estado, seu dirigente máximo tinha o título de Doge. Assim também não pode faltar em seu passeio uma visita ao Palácio dos Doges, a antiga sede do governo. (lado esquerdo da foto ao lado). O prédio fica em frente à Praça de San Marcos. Seus pontos de destaque são o magnífico Átrio interno, a escadaria onde eram coroados os Doges e Câmara do Conselho, onde eram eleitos os Doges. Lá está também a Visão do Paraíso, maior tela a óleo do mundo, medindo 8 x 25 metros, e onde estão representadas 350 personalidades influentes da época.

Anexo ao palácio está antiga prisão da cidade (lado direito desta foto). Ligando os dois prédios está a famosa Ponte dos Suspiros, em destaque nesta foto. Embora seu nome tenha uma conotação romântica, a verdade é que o nome surgiu graças aos prisioneiros que eram levados do Palácio para a prisão. Conta-se que ao passar por esta ponte elas davam uma última olhada pela janelinha, viam a liberdade pela última vez, e suspiravam de tristeza... 

Recentes pesquisas tem mostrado que, devido à poluição ambiental e seus efeitos sobre o meio ambiente e o nível das águas dos mares, Veneza está afundando, lentamente mas incessantemente, à razão de alguns milímetros por ano. Em épocas de maré cheia, as águas da lagoa inundam grande parte da cidade.

Embora relativamente caro, uma visita à Veneza sem um passeio de gôndola nunca seria completo. Você sabia que as gôndolas eram inicialmente utilizadas apenas como embarcações fúnebres? Por esta razão elas eram sempre pintadas de preto, uma tradição que até hoje permanece. Um roteiro completo de Gôndola tem a duração aproximada de uma hora. Quem quiser economizar um pouco pode propor ao gondoleiro encurtar o passeio em alguns minutos e ao mesmo tempo diminuir um pouco o preço.

Se após o passeio você sentir fome faça como os Venezianos, e vá até uma das dezenas de Bacaros da cidade e peça um Cichetti. Os Bacaros são os restaurantes mais típicos de Veneza, neles come-se de pé, e pode-se escolher entre sanduíches abertos, folheados, tira-gostos diversos (Cichetti), todos ótimos. É a refeição ideal para o turista que não quer gastar muito nem perder tempo na mesa de um restaurante quando há tanto para ver na cidade. Para acompanhar seu Cichetti não esqueça de pedir um Ombria, uma pequena taça de vinho da casa.

Vídeos: Gôndola (parte 1) - Gôndola (parte 2) 

 

Com freqüência cada vez maior é comum para os turistas encontrarem o coração de Veneza coberto por uma lâmina de água que em certas ocasiões atinge a altura das canelas. Há décadas este lento afundamento da cidade vem preocupando e diversas instituições internacionais uniram esforços para estudar alternativas e projetos visando impedir que Veneza possa um dia sumir sob as águas. Apenas recentemente foi dado início à execução do projeto escolhido, que envolve a construção de barreiras móveis, destinadas a impedir o lento afundamento da cidade. No entanto ninguém ainda pode prever com certeza se este projeto conseguirá, com certeza absoluta, salvar Veneza de morrer afogada. Seus custos são imensos e nunca antes algo semelhante e nesta escala foi posto em prática.

 

Veneza é uma cidade inesquecível e uma visita nunca é suficiente. Fica-se sempre com vontade de voltar e voltar.... A foto ao lado foi feita em frente ao Palácio dos Doges e Ponte de Paglia. Pouco adiante fica a Ponte dos Suspiros. Diz uma lenda que os casais que trocarem um beijo no momento exato em que passarem sob a Ponte dos Suspiros serão eternamente apaixonados. É claro que nós não perdemos a oportunidade. Lembre também disso, quando for lá com sua cara metade. Além de belíssima, Veneza é também a cidade mais romântica do mundo!

 

 

A música desta página é Na será Maggio. Para interromper a execução clique em X (parar)


Bandeira de Veneza

Gondoleiro