Inicio
Amsterdam
Assis
Atenas
Barcelona
Bath
Berlin
Biarritz
Blackpool
Bordeaux
Bratislava
Brighton
Brugge
Bruxelas
Budapeste
Cambridge
Cardiff
Chamonix
Chester
Copenhagen
Dusseldorf
Edinburgh
Estocolmo
Firenze
Frankfurt
Glasgow
Grenoble
Heildelberg
Helsinque
Innsbruck
Inverness
Istambul
Koln
Liechtenstein
Lisboa
Liverpool
Londres
Luxemburgo
Madri
Manchester
Milano
Monaco
Moscou
Munique
Nice
Oslo
Oxford
Paris
Portsmouth

Praga
Reims
Roma
Rouen
Salzburgh
San Malo
Sao Petersburgo
Talin
Toulouse
Varsovia
Veneza
Viena
Winchester
York
Zurich

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

Situada ao sul da França e cortada pelo rio La Garonne, a cidade de Toulouse é conhecida como La Ville Rose, graças à cor predominante de seus prédios construídos com tijolos cor de rosa. Esta não é, no entanto, sua única característica, pois a Ville Rose também tem sido um importante pólo de arte, e deu à França um de seus mais notáveis pintores, Toulouse Lautrec. Nossa visita foi no início em setembro, quando o calor do verão francês ainda era forte e Toulouse fervilhava ao ritmo da reentré. A foto aérea incluída ao lado mostra o coração da cidade, representado pelo largo conhecido como Place du Capitole.

   

Praticamente todas principais vias de Toulouse irradiam da Place du Capitole, mostrada acima, fazendo deste lugar um bom ponto de partida para iniciar a exploração da Ville Rose. Além de história e arte, Toulouse também fornece ao país um de seus mais avançados centros de tecnologia, representado pela gigante da aeronáutica Airbus. Ainda assim, é pouco provável que um turista preste atenção a estes detalhes de imediato. O mais provável é que sejam vistos, ao primeiro olhar, os belos e imponentes prédios históricos, as largas e generosamente arborizadas avenidas, as estreitas ruelas do centro histórico, os charmosos cafés e restaurantes, e principalmente as pessoas, que dão um ar cosmopolita à capital de Midi Pyrénées.

 

Ao lado, mas uma imagem feita na Place du Capitole, na verdade não uma praça, mas sim uma área livre frente ao prédio do Capitole, onde está a prefeitura da cidade. Com arquitetura magnífica, ao estilo de um palácio, ele abriga, além dos escritórios governamentais um teatro. Uma caminhada pelos seus jardins internos, permite também apreciar diversas obras de artistas do século 19, como Jean-Paul Laurens e Henri Martin, e ainda diversos bustos representando figuras proeminentes na história de Toulouse.

 

Um local que não pode faltar em sua visita à cidade é a Basilique Saint Sernin, mostrada na foto ao lado. Esta basílica foi consagrada em 1096, e constitui o mais importante monumento da cidade e um dos mais bem conservados templos em estilo romanesco da Europa. Em seu interior merecem destaque a Porte Miègeville, decorada com esculturas do século 12, as colunas ornadas com motivos bíblicos e suas cinco naves, algo bastante incomum no estilo arquitetônico adotado na época. No eixo central da basílica também pode ser vista outra obra prima, o baixo relevo intitulado Cristo em sua Majestade, trabalho do século 11. E não esqueça de visitar sua cripta, onde estão sepultados diversos santos, e ao que consta, um dos espinhos da coroa de Cristo.

 

A foto ao lado mostra um trecho da Place Wilson, ou, como é conhecida pelos moradores da cidade, La Place du Cap. Ela tornou-se um dos locais característicos de Toulouse graças ao conjunto de prédios à sua volta, todos com mesma altura e linhas curvas, acompanhando o perímetro dos jardins em frente. Siga a visita indo até o Musée des Augustins, construído no século 14 para servir como convento e agora repleto de obras de arte,  relíquias religiosas, esculturas e pinturas de gênios como Toulouse-Lautrec, Delacroix e Gérard. Já quem quiser conhecer mais sobre o passado da cidade deve ir até o Musée Vieille Toulouse (Rue do May 7). Instalado numa mansão do século 17, é o melhor lugar para aprender tudo sobre as origens, os monumentos históricos e detalhes sobre a formação de Toulouse.

 

Visite as ruínas do anfiteatro romano de Toulouse, onde, na época de dominação romana, eram realizados combates de gladiadores e outros espetáculos do gênero. Ao lado do anfiteatro (Avenue des Arenes Romaines) existe um interessante museu, onde estão em exibição vários objetos datando daquele período. Não muito distante, vale a pena também visitar a Église de Jacobins. Em estilo gótico, e situada na Rue Lakanal, esta igreja e mosteiro foi restaurada e constitui um dos mais importantes monumentos do gênero no país. Quem não abre mão ir a um shopping pode ir direto ao Centre Commercial St-Georges, na rue du Rempart St-Etienne. Mas, se no lugar das grandes lojas você prefere lojinhas, dirija-se às ruas Croix-Baragnon, rue St-Antoine du T e Rue des Arts.

 

Quem aprecia artes gráficas deve aproveitar para visitar o Centre Municipal de l'Affiche de la Carte postale et de l'Art Graphique, museu com centenas de posters de propaganda, selos e congêneres. Depois prossiga a caminhada até a belíssima Catedrale Saint Etienne, onde se pode aprender muito sobre a história, arte e cultura da cidade e sua influência na França. E se permanecer na cidade até um domingo qualquer aproveite para conhecer também o mercado de pulgas de Saint Sernin, uma feira ao ar livre com centenas de objetos raros, curiosidades e antiguidades.

Quem dispuser de mais tempo para visitar as regiões próximas não deve também deixar de conhecer uma das maiores atrações turísticas de Toulouse, a famosa Cite de l'Espace, parque dedicado à ciência, tecnologia e às conquistas espaciais.

Ao lado uma imagem do Canal du Midi, curso artificial de água, que corta a cidade e liga o mar mediterrâneo ao oceano Atlântico. Dez mil homens trabalharam durante dez anos para construir este projeto do engenheiro Pierre-Paul Riquet, apresentado em 1667 ao rei Luis 14. Seu objetivo era proporcionar uma via alternativa e mais rápida para o transporte de bens e serviços e na época a obra teve um impacto semelhante ao que causou a construção do túnel sob o Canal da Mancha. Ao longo dos 241 km de extensão do Canal du Midi pode-se apreciar uma diversidade de diferentes paisagens urbanas e rurais da França. 

Diversas empresas organizam passeios fluviais ao longo do Canal du Midi, com duração variando entre horas a dias, e uma viagem por suas águas é uma das melhores alternativas para conhecer de perto alguns aspectos da França que costumam ficar escondidos de quem viaja somente pelas auto-estradas ou ferrovias.

Antes de terminar sua visita à cidade, se quiser conhecer mais um pouco sobre a vida do pintor Toulouse-Lautrec, um dos mais famosos filhos desta região, vá até a pequena vila de Albi, a pouca distância de Toulouse, e visite o prédio do Palais de la Berdie, onde se encontra o museu especialmente dedicado à memória e ao trabalho do famoso pintor.

Antigamente Toulouse era lembrada como a "Cidade dos três S". A Cidade Santa (la Sainte), Sábia (la Sage) e Suja (la Sale). A justificativa estava no fato de ser uma cidade com 90 igrejas, 43 conventos e uma das primeiras a aderir em massa ao Cristianismo (Cidade Santa), de antigas e prestigiadas universidades e academias (Cidade Sábia) e com ruas estreitas e sem sistema de esgotos onde os animais circulavam livremente pelas ruas (Cidade Suja). Não sabemos se os franceses ainda se referem a ela desta forma, mas o fato é que agora as águas do Garonne banham uma Toulouse lembrada no século 21 como centro de tecnologia aeroespacial e como um dos principais pólos turísticos do país. E para turistas é lembrada, principalmente, como uma cidade bonita, nem grande nem pequena, e que merece ser incluída em todo bom roteiro pelo sul da França.

 

 

A música dessa página é La Vie en Rose. Para interromper a execução clique em X (parar)