Inicio
Amsterdam
Assis
Atenas
Barcelona
Bath
Berlin
Biarritz
Blackpool
Bordeaux
Bratislava
Brighton
Brugge
Bruxelas
Budapeste
Cambridge
Cardiff
Chamonix
Chester
Copenhagen
Dusseldorf
Edinburgh
Estocolmo
Firenze
Frankfurt
Glasgow
Grenoble
Heildelberg
Helsinque
Innsbruck
Inverness
Istambul
Koln
Liechtenstein
Lisboa
Liverpool
Londres
Luxemburgo
Madri
Manchester
Milano
Monaco
Moscou
Munique
Nice
Oslo
Oxford
Paris
Portsmouth

Praga
Reims
Roma
Rouen
Salzburgh
San Malo
Sao Petersburgo
Talin
Toulouse
Varsovia
Veneza
Viena
Winchester
York
Zurich

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

Frankfurt-am-Main é o coração empresarial da Alemanha e seu centro financeiro. Totalmente reconstruída após a guerra, hoje é uma cidade moderna, dinâmica, com construções imponentes, como a simbolizar a potência econômica da Alemanha de hoje. Embora não faça parte dos típicos roteiros turísticos pela Alemanha, é de longe sua cidade mais internacional. Desde o século 13 já era um importante centro comercial da Europa, e ainda hoje, as artes, museus, feiras, eventos e constantes exposições continuam fazendo desta cidade um destino excitante e convidativo

   

Talvez Frankfurt não faça parte dos roteiros turísticos tradicionais pela Alemanha justamente porque - excetuando-se alguns poucos locais - Frankfurt não pareça Alemanha. Em escala reduzida ela lembra mais uma Nova York ou São Paulo do que aquelas adoráveis cidades com arquitetura típica germânica, que todos nós amamos. O cenário predominante de Frankfurt são os grandes e modernos prédios empresariais e bancários, ruas movimentadas e gente andando apressada de um lado para outro, com jeito de estar fechando algum negócio importante. Mesmo assim, estimulados por duas visitas rápidas anteriores à cidade, decidimos voltar lá com mais calma, e passar alguns dias em Frankfurt para conhecê-la melhor. 

 

A primeira dificuldade que encontramos em Frankfurt foi achar uma vaga para estacionar nosso carro, pois durante o dia, assim com em outras cidades movimentadas, o espaço livre é bastante disputado. Mas pergunta daqui pergunta dali e uma simpática senhora nos sugeriu evitar parquímetros - opção muito cara - e indicou um prédio garagem logo adiante, o que acabou sendo uma ótima alternativa.

Comece sua caminhada pela área central, onde diversos trechos são exclusivos de pedestres. A vitrine comercial da cidade atende pelo nome de Zeil, uma larga e arborizada avenida exclusiva de pedestres, com mais de um quilômetro de extensão. A Zeil é considerada como um dos maiores shoppings da Europa a céu aberto, tal a variedades de lojas e número de visitantes. Também as ruas Fahrgasse e Hasengasse concentram boas opções comerciais. Para distrair a boca enquanto não chega a hora do almoço, sugerimos entrar numa confeitaria - elas existem às dezenas por aqui - e comprar uma das especialidades locais, o Marzipan. Estes deliciosos bombons de chocolate com amêndoas são campeões de vendas por aqui, e parecem ter até mesmo um gostinho de Alemanha.

 

O prédio da Alte Oper é uma das construções mais renomadas da cidade, fica na Opernplatz. Trata-se de uma reconstrução do prédio original, também totalmente devastado durante a guerra, mas que após o conflito foi restaurado de acordo com o projeto original (ao lado). Outro ponto famoso da cidade, a Goethe Haus foi o endereço do famoso poeta, entre 1749 e 1775, e é decorada com reproduções da mobília original de sua época, formando um verdadeiro painel doméstico do século 18. Uma das peças principais da casa é a autêntica escrivaninha utilizada por Goethe. E visite ainda o interessante Deutsches Filmmuseum, museu de cinema; o museu Judengasse onde se pode ter uma idéia de como era a vida nos antigos guetos judeus da cidade. Lá foi construído um memorial ao Holocausto.

 

Quando a fome chegar você vai ver que são tantas as opções, bares, tabernas, carrocinhas com pratos típicos, confeitarias e restaurantes convidativos que é difícil decidir. Se o seu negócio é algo típico então escolha um daqueles divertidos cachorros quentes que são vendidos em todo lugar, com salsichas deliciosas e enormes, saindo nas duas extremidades do pão e com mostarda servida à vontade em torneirinhas. Uma turista americana nos viu com um desses, pensou que fôssemos alemães (!) e pediu para fazer uma foto.

Um dos pratos mais populares é a Frankfurter Wurstchen, lingüiça de porco defumada, geralmente servida com salada de batatas e Ebbelwoi, um delicioso vinho de maçãs. Depois siga o passeio visitando o Judisches Museum (Museu Judaico, na Untermainkai 14-5) e a Städtische Galerie und Städelsches Kunstinstitut (instituto de arte e galeria municipal, na Schaumainkai 63).

 

Mas se existe um ponto na cidade que pode ser considerado como unanimidade entre os turistas e moradores locais trata-se da praça Romer (Römerberg). Este espaço livre rodeado por prédios de arquitetura em estilo característico germânico tem sua história iniciada ainda no século 12, quando era utilizado como mercado livre entre comerciantes locais e aqueles vindos da França e Itália. Ao longo do tempo a Romerberg afirmou-se também como a área mais nobre da cidade, passando a servir de local para cerimônias importantes, como festivais e coroações, celebradas na antiga prefeitura, a Zum Römer. O principal salão da prefeitura - Kaisersaal - abriga estátuas de todos os reis e imperadores germânicos, desde Friedrich Barbarossa (1152) até Franz II (1806).

Não deixe de visitar, também na praça, o Historiches Museum, onde a história de Frankfurt é contata, inclusive com maquetes da cidade em diversas épocas. Causa tristeza conhecer a destruição quase total da cidade, ao fim da segunda guerra. Visite também a Alte Nikolaikirche, igreja gótica cuja origem remontam ao século 13, usada pelos imperadores germânicos durante dois séculos. Na praça estão ainda diversos restaurantes e lojinhas oferecendo todo tipo de souvenirs e lembranças de Frankfurt.

 

O outro lado da praça Romer, frente à prefeitura, é conhecido como Ostzeile. Trata-se de uma linha de construções em madeira, originalmente construída durante os séculos 14 e 15 (ao lado). No centro da praça destaca-se a fonte da justiça Gerechtigkeitsbrunnen, representando a deusa da justiça Justitia, construída em 1543. Infelizmente quase todos estes monumentos são reconstruções, já que durante a segunda guerra a praça foi completamente destruída pelos bombardeios aliados. Alguns prédios históricos foram reconstruídos logo após o conflito, no entanto a Ostzeile somente foi reerguida em 1983.

 

A Eschenheimer Turm é uma das poucas estruturas remanescentes das antigas muralhas que cercavam Frankfurt. Esta torre de 47 metros de altura foi completada em 1428 por ordem do Kaiser. Na realidade existiam mais de 60 torres cercando a cidade, quase todas foram demolidas entre 1806 e 1812, quando as muralhas da cidade também foram abaixo. A Eschenheimer Turm foi a única torre que conseguiu escapar de virar entulho, transformando-se num dos pontos históricos mais importantes da cidade. Desde 1992 a torre é aberta à visitação pública, sendo que em sua base existe um agradável café.

Depois visite o Museum für Moderne Kunst (museu de arte moderna, Domstrasse 10), a Goethehaus und Goethemuseum (Casa e museu de Goethe, maior poeta alemão, Grosser Hirschgraben 23-25), e a Paulskirche (igreja de São Paulo, na Paulsplatz).

Enquanto o lado norte da cidade abriga os prédios e o centro do comércio, a margem sul abriga pontos culturais importantes, como o Museumsufer, área dos museus e Sachsenhausen's, com suas antigas residências, tabernas e ruelas típicas.

 

Frankfurt tem festas o ano inteiro. Em fevereiro acontece a Fastnacht; em março o festival internacional de música e Jazz; em abril chega o Dippemess, com pratos regionais, muito vinho e cerveja; junho traz o Wilhelmstrassenfest Theatrium, com peças encenadas pelas ruas; em agosto é comemorado o Mainfest, com vinho a vontade jorrando em torneirinhas; setembro marca a volta do Dippemess, com jogos e muito artesanato; e em outubro, quando estivemos lá, estava sendo comemorada a famosa Oktoberfest, festival de música, pratos típicos e onde se pode conhecer um pouco de cada região do país.

 

Se até há pouco tempo Frankfurt era famosa somente por seus quase 400 bancos internacionais, 200 agências de publicidade e cerca de 1000 representações de empresas multinacionais, atualmente a cidade dispõe também de boas opções de entretenimento, inclusive noturno, com restaurante e bares oferecendo música ao vivo, geralmente entre 21 horas e 3 da manhã. O restaurante mais popular da cidade continua sendo o Bruckenkeller (rua Schutzenstrasse 6), mas a diversão está mesmo em suas cervejarias, onde se pode sentir a atmosfera alegre da cidade. Nesta imensa relação, destacam-se a Adolf Wagner's (Schweizerstrasse 71), Zum Gemalten Haus (Schweizerstrasse 67), Zum Kanonesteppel (Textorstrasse 20), Zur Germania (Textorstrasse 16) e Klaane Sachsehauser (Neuer Wall 11), quase todas abertas entre 16 horas e 4 da manhã.

 

O aeroporto de Frankfurt é o mais movimentado da Europa. Ao chegar desça ao subsolo e pegue o trem até o centro da cidade, a mais eficiente e rápida forma de transporte. Ainda do avião, antes da aterrissagem, é provável que você veja ao longe a imponente silhueta dos prédios centrais da cidade, com destaque para o Commerzbank Tower, até poucos anos, o mais alto prédio da Europa, famoso também por seu projeto ecológico e de iluminação natural.

Mas não deixe esta primeira visão lhe desanimar, pensando que Frankfurt é somente mais uma cidade de negócios, destinada somente a executivos ou coisas semelhantes. Ela pode ser tudo isto, mas também é uma cidade com muita história, atrações interessantes e um ótimo centro de lazer, como descobrimos naqueles dias que passamos lá.

 

 

A música desta página é a Polca do Barril de Chope. Para interromper a execução clique em X (parar)

 


Brasão de Frankfurt