Inicio
Amsterdam
Assis
Atenas
Barcelona
Bath
Berlin
Biarritz
Blackpool
Bordeaux
Bratislava
Brighton
Brugge
Bruxelas
Budapeste
Cambridge
Cardiff
Chamonix
Chester
Copenhagen
Dusseldorf
Edinburgh
Estocolmo
Firenze
Frankfurt
Glasgow
Grenoble
Heildelberg
Helsinque
Innsbruck
Inverness
Istambul
Koln
Liechtenstein
Lisboa
Liverpool
Londres
Luxemburgo
Madri
Manchester
Milano
Monaco
Moscou
Munique
Nice
Oslo
Oxford
Paris
Portsmouth

Praga
Reims
Roma
Rouen
Salzburgh
San Malo
Sao Petersburgo
Talin
Toulouse
Varsovia
Veneza
Viena
Winchester
York
Zurich

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

Antes de chegar já sabíamos que Brugge era um lugar bonito, mas não sabíamos que era tão especial. Se soubéssemos teríamos programado ficar muitos dias a mais. Suas ruas, prédios e canais são quase como uma viagem de volta no tempo até a Europa medieval e graças a isto essa pequena cidade da Bélgica transformou-se no principal ponto turístico do país. Conhecida por Bruges em francês, ou Brugge em flamengo, o nome não importa. O fato é que ela é uma unanimidade.

   

Embora pequena, a Bélgica é dividida em duas partes, Valônia (metade sul, de influência e língua francesas) e Flandres (metade norte, com cultura e língua flamenga, semelhantes à holandesa), um claro reflexo da importância destes dois países na formação do território Belga, uma divisão que permanece até nossos dias. Brugge está situada em Flandres, e sua proximidade de outras capitais Européias tornam esta viagem de volta à idade média um convite irresistível.

A história desta região é riquíssima e muito conturbada. Foram séculos de dominações de outros povos, guerras, tratados, revoltas, movimentos nacionalistas, revoluções, conflitos religiosos, culturais e lingüísticos até o surgimento da Bélgica. E Brugge sempre esteve ali, no centro de tudo. Com séculos de história e arquitetura medieval em grande parte preservada, os pontos turísticos e históricos de Brugge são diversos.

 

O prédio da prefeitura, um dos mais antigos dentre os Países Baixos, é um dos pontos imperdíveis da cidade. Construído entre 1376 e 1420 em estilo gótico, é o prédio mais antigo da cidade, e abriga valiosos tesouros históricos. Um de seus aposentos mais famosos é a capela Heilige-Bloedbasiliek. Por cerca de 850 anos ela tem guardado um trecho de tecido marcado pelo sangue de Cristo. Conta-se que ele foi trazido para Brugge na ocasião das segundas Cruzadas, graças ás tropas de Dirk Van de Elzas, o duque de Flandres. Até hoje esta relíquia é guardada numa urna de cristal na capela desta prefeitura.

 

Ao lado da prefeitura situa-se o Palácio da Liberdade, construído a partir de 1727, prédio que abriga órgãos administrativos do município, mas tem parte de suas instalações abertas ao público em datas especiais.

Video: Percorrendo as Ruas de Brugge

Visite também o Groeninge Museum (rua Dijver 12), com obras de pintores belgas e holandeses. No Gruuthusemuseum estão tapeçarias, mobílias, armas, moedas e muitos outros objetos que contam um pouco da história destas terras. A praça Huidenvettersplein é o local preferidos dos pintores de rua, e lá você poderá apreciar seu trabalho e quem sabe comprar algum que lhe agrade mais.

E se encontrar pelas ruas carros antigos como o da imagem ao lado pode parar na hora, porque é alguma gostosura belga (sorvetes, waffles com coberturas diversas etc) que não pode deixar de ser conferida.

 

A torre medieval conhecida como Halletoren é a maior e mais importante construção de Brugge, e fica situada bem em frente à praça do mercado. Ela foi construída no século 13, tem 88 metros de altura e no seu topo possui um carrilhão com 47 sinos. Este ponto é o próprio coração da cidade, e serve como referência para todos os passeios em Brugge. Quem quiser subir os 366 degraus da torre vai desfrutar de uma vista completa de toda a cidade. 

Ainda hoje é comum encontrar pelas ruas mulheres rendeiras, uma tradição artesanal que passa de geração em geração desde a idade média. Estas rendas são sempre uma opção muito apreciada para presentes. Já quem prefere fazer compras em shoppings tem a opção de ir ao Zilverpand (rua Zuidzandstraat), Ter Steeghere (Burg) ou Alberthal (Zuidzandstraat).

Mas bem mais típico, no entanto, é visitar o mercado de rua Zand, onde aos sábados, encontram-se centenas de produtos artesanais da região. 

 

Brugge é rodeada de canais, e um dos programas mais apreciados pelos visitantes é percorrer estas ruas aquáticas a bordo de barquinhos turísticos, navegando sob pontes e árvores, e apreciando de um angulo privilegiado suas construções históricas. O canal Minnewater tem a fama de dar sorte aos apaixonados que o percorrem, por isto diversos casais atiram moedinhas em suas águas. Há muitas companhias oferecendo roteiros pelos canais da cidade. Uma das mais tradicionais é a Lamme Goedzak. Para chegar lá pegue o ônibus 4 que sai da praça do mercado até o ponto de embarque, em Noorweegse Kaai. 

 

Fizemos esta foto na praça central de Brugge. Uma boa forma de conhecer a cidade é andando de bicicleta. A cidade é completamente plana, por isso pode-se pedalar a vontade sem cansar. Há trilhas demarcadas por toda a cidade onde as bicicletas têm trânsito preferencial, e todo mundo respeita. Aqui é também o melhor ponto da cidade para uma refeição, não tanto pela comida, mas principalmente pela vista. Já quem não fizer questão de almoçar na praça central, vai encontrar preços bem mais em conta nos restaurantes mais afastados da praça central. Peixes são uma opção freqüente da culinária local, assim como deliciosos waffles belgas.

 

Quem não quiser conhecer a cidade pedalando pode optar pelo ônibus mesmo. Neste caso é aconselhável comprar o passe turístico de 24 horas, que dá direito a andar a vontade em todos os ônibus da cidade. As principais áreas de comércio na cidade estão situadas entre esta praça e os portões medievais, principalmente ao longo das ruas Steenstraat e Zuidzandstraat. 

Alguns dos pontos turísticos famosos da cidade são a Igreja Carmelita, construção em estilo barroco de 1688; Ezelpoort, um dos portões medievais da cidade, datando do século 14; Kreupelenstraat, a capela de Nossa Sra. dos Cegos, século 17 e Smedenpoort, que consiste num portão fortificado de 1367, onde um crânio de bronze lembra o traidor que tentou abrir este portão para uma invasão francesa), Folklore Museum (rua Rolweg 40, onde estão recriações de estabelecimentos comerciais da idade média, como farmácias, salas de aula, chapelarias, etc), De Nieuwe Papegaai (reconstrução do moinho existente em Beveren-Ijzer), cervejaria De Gouden Boom (rua Langestraat 47, a mais tradicional, existe desde 1587), e Museu da Cerveja (rua Verbrand Nieuwland 10). 

 

Para acompanhar sua refeição experimente a forte cerveja belga. Basta pedir um pintj de Straffe Hendrik ou de Brugs Tarwebier. E na hora da sobremesa não há nem como ter dúvidas: Vá até a rua Steenstraat para conhecer os chocolates caseiros da Venerande. Sua especialidade são as deliciosas trufas. Ou então vá mais adiante até a Godiva, e peça uma caixa de Noeuds de Bruges. Já a Sukerbuyc (rua Katelijnestraat) é famosa por seus marzipans em todos os formatos. A loja Chocoladehuisje é famosa por suas trufas de chocolate branco e preto, e por último não esquea de levar para casa uma caixa daqueles deliciosos biscoitos típicos de Brugge, conhecidos como Dentelles de Bruges.

 

A principal conclusão que havíamos chegado, antes mesmo de partir de Brugge foi que seria ótimo podermos voltar lá algum dia. E se você pretende visitar esta cidade e deseja mesmo uma sugestão, não tenha pressa quando passar por aqui. Brugge pode ser um local pequeno, mas entre ruelas estreitas, sob telhados vermelhos e à sombra de suas torres medievais estão tesouros em cada esquina, prontos para serem descobertos por turistas à procura de um lugar muito especial.

 

A música desta página é Fleur de Ville. Para interromper sua execução clique em X (parar).


Brasão de Brugge