Inicio
Aracaju
Belo Horizonte
Blumenau
Boa Vista
Brasilia
Campo Grande
Caxias do Sul
Curitiba
Florianópolis
Fortaleza
Gramado
João Pessoa
Joinville
Lençóis
Maceió
Manaus
Mariana
Natal
Olinda
Ouro Preto
Pantanal
Paraty
Pelotas
Petropolis
Porto Alegre
Porto Velho
Recife
Rio de Janeiro
Rio Branco
Salvador
São J. del Rei
São Luis
Teresina
Tiradentes

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 







 

 

 

 


Resort à beira mar

É difícil dizer quanto tempo a gente precisa passar em Natal para aproveitar bem a cidade, pois aqui o tempo parece nunca ser suficiente. Natal é um daqueles lugares onde, para quem está passeando, o tempo tem outra dimensão: Uma semana parece um dia e um mês parece uma semana. Ficar hospedado num dos paradisíacos resorts da Avenida Via Costeira, de frente para o mar, entre piscinas cinematográficas, palmeiras e jardins, e envoltos por um clima que parece saído de alguma ilha da fantasia é tão agradável, tão gostoso, tão relaxante que beira o irreal. Bem, como você já deve ter percebido, nós gostamos muuuito de Natal, a capital do Rio Grande do Norte.

   

Ao lado, a Praça Pedro Velho, situada próxima ao centro da cidade. Quem quiser conhecer esta parte da cidade pode tomar este ponto como referência e seguir a pé pela Avenida Marechal Deodoro. Em pouco tempo chegará à nova catedral da cidade, construída num arrojado estilo arquitetônico, e depois, dobrando à direita chegará na Avenida Rio Branco, onde situam-se a maioria dos estabelecimentos comerciais, bancos etc. Apesar de ser uma cidade grande, sentimos que Natal preserva um ritmo de vida agradável, onde as pessoas não aparentam ser estressadas, correndo de um lado para outro. Próximo ao centro situa-se a Praia dos artistas, que tem este nome porque durante a segunda guerra aqui ficavam muitos artistas americanos, que vinham se apresentar para as tropas americanas estacionadas em Natal.

Seguindo a partir da Praia dos Artistas pelo litoral na direção sul, chega-se à Via Litorânea, situada à beira mar, paralela ao Parque das Dunas, e depois de doze quilômetros chegamos na Ponta Negra, a principal área turística da cidade, onde estão diversos bares, restaurantes e hotéis.


Praça no centro da cidade

Uma caminhada por Ponta Negra é um passeio agradável, basta seguir pela Avenida Erivan França, que começa junto ao Morro do Careca – um dos marcos mais conhecidos de Natal – e segue ao longo do litoral, passando por diversos restaurantes, barzinhos e hotéis. É possível ir de Ponta Negra ao centro da cidade pelo litoral, seguindo a avenida Via Costeira ou então por dentro, pelas avenidas Salgado Filho e Prudente de Moraes. Estas são as duas principais artérias da cidade, e por aqui estão localizados os grandes centros comerciais e maiores lojas. 

Ao lado uma imagem do belo prédio histórico que abriga a Prefeitura de Natal, situado no centro. Não muito longe daqui vale a pena visitar o Memorial Câmara Cascudo, que homenageia o famoso sociólogo que dedicou sua vida ao estudo da cultura de Potiguar (que refere-se ao estado do Rio Grande do Norte). O memorial está situado na mesma casa onde ele viveu, e expõe objetos pessoais do renomado sociólogo.

Depois aproveite para conhecer também o Museu Câmara Cascudo, que embora leve quase o mesmo nome do anterior, é dedicado à ciência natural e antropologia. Lá estão fósseis e interessantes trabalhos indígenas provenientes do nordeste brasileiro. Mais adiante, no bairro Ribeira, situa-se o igualmente interessante Museu da Cultura Popular, com um bom acervo de fotos e textos relatando o folclore as artes e costumes do Rio Grande do Norte.

Os cerca de dez resorts situados ao longo da Via Costeira são um pouco deslocados em relação aos outros pontos da cidade, mas para quem quer ficar bem hospedado não há nem o que pensar, aqui é o lugar certo para ficar. Mesmo porque, para quem não estiver de carro, há ônibus grátis circulando por toda orla, ligando todos estes resorts ao bairro de Ponta Negra - a principal área turística de Natal - e aos melhores shoppings da cidade.

 

O lugar mostrado na foto ao lado costuma ser incluído em todos os passeios turístico em Natal, e mesmo que você venha a cidade por conta própria não deve deixar de visitar: O Centro de Turismo (Rua Aderbal de Figueiredo). Situado num prédio histórico construído no século dezoito, em formato de quadrilátero, e que serviu inicialmente como prisão, esta construção foi reformada e agora abriga dezenas de expositores oferecendo tudo que se pode imaginar em termos de artesanato, artes, quitutes e decoração. A foto mostra uma das quatro alas do Centro de Turismo de Natal e parte de seu pátio interno. O prédio está situado no topo de uma colina, e no setor voltado para o rio Potengi há um simpático restaurante, onde além de bons pratos típicos tem-se uma vista deslumbrante do litoral, mais abaixo. 

 

Ao norte da Praia dos Artistas está situado a Fortaleza dos Reis Magos. O nome faz referência à data de sua inauguração, dia de Reis, 6 de janeiro de 1598. Construído às margens do rio Potengi, a construção tinha como finalidade controlar as embarcações que se aproximavam, já que as mais constantes ameaças sempre vinham por água, seja do mar, como franceses e holandeses, ou do rio, como os índios. 

O Forte dos Reis Magos é uma construção em formato de estrela de cinco pontas e para chegar até sua entrada percorre-se um caminho de aproximadamente 500 metros, sobre um enrocamento de pedras. Situado entre o rio, o mar e a mata, a vista do forte é belíssima, e fornece um cenário único para imagens memoráveis. Do alto de suas muralhas pode-se ver ao longe os altos prédios residenciais de Natal.

Ao lado, um imagem feita do alto das muralhas do Forte dos Reis Magos, mostrando o pátio interno e sua torre branca. A construção do forte levou cerca de trinta anos e o material foi trazido quase inteiramente de Portugal. Mas mesmo tendo sido projetado e construído com todos os requintes militares da época, o forte não escapou de ser invadido e dominado por tropas holandesas, em 1630.

A visita ao forte pode ser feita por conta própria, mas o ideal é aceitar a acompanhamento oferecido pelos guias credenciados de turismo, porque fornecem informações super interessantes não somente sobre o forte e sua história, mas também sobre a formação da cidade de Natal.

 

Turistas em Natal à procura de lembranças e presentes costumam dar preferência aos bordados, cerâmicas, peças em cipó, madeira, palha e às famosas rendas. Garrafinhas de areia colorida são sempre uma unanimidade, e custa a crer que algo tão perfeito possa ser feito manualmente, representado jangadas, casas, pores do sol e outras imagens típicas do nordeste. Também as rendas costumam deixar as mulheres maluquinhas, seja na forma de roupas ou toalhas. E a palha de carnaúba é igualmente um item muito utilizado pelos artesãos, na criação de tapetes, cestas e artigos diversos.

Próximo ao litoral, no trecho em que avenida Roberto Freire se bifurca em direção à Ponta Negra e Via Costeira, bem ao lado do Praia Shopping (Av Engenheiro Roberto Freire), existe um outro shopping especializado em artesanato local, onde todos estes itens podem ser encontrados. Por outro lado, se você prefere shoppings tradicionais, vá direto ao Midway (Av. Bernardo Vieira), sobre o qual pode-se dizer, sem exageros, que é melhor que muitos shoppings que conhecemos, até mesmo nos Estados Unidos. A foto acima é do bairro Tirol, onde situa-se o Midway. Outro bom shopping da cidade é o Natal Shopping (Avenida Senador Salgado Filho).

Natal tem alguns passeios que podem ser considerados imperdíveis, entre eles a Praia de Pipa, situada pouca distância ao sul da cidade. Pipa é especial graças ao paredão de rochas, um desnível de mais de cinquenta metros entre a mata e a areia. Chegando lá os turistas tem acesso ao litoral ao longo de uma escadaria de pedras esculpida na rocha, ao término da qual tem à sua disposição uma praia virgem, de areias brancas.

No topo das falésias estão diversos restaurantes e bares, com cozinhas especializada em peixes e frutos do mar. Para quem quiser aproveitar ao máximo toda beleza deste cenário exótico, o ideal é se programar para ir até Pipa bem cedinho e passar todo o dia por lá. 

 

Ao lado, imagem de um trecho do litoral situado ao sul da Via Costeira, no trecho conhecido com Praia do Meio, mostrando alguns prédios residenciais. Um dos locais mais bonitos da cidade, situado junto ao litoral é o Parque das Dunas, área coberta por areia e vegetação característica. Ele acompanha todo o trajeto da Via Litorânea, em frente ao mar e aos grandes resorts turísticos. Todo dia, ao sairmos do nosso hotel, percorríamos diversos quilômetros ao longo daquelas imensas dunas de areia, e elas davam a impressão de estar chamando a gente o tempo todo.

O Parque das Dunas tem área aproximada de mil e duzentos hectares, e lá estão, além dos evidentes cactos, amostras da formação geológica local e exemplos de flora característica da região. Mas para ver estes detalhes é preciso estar acompanhado por um guia e pagar uma pequena taxa para ter acesso ao parque. As caminhadas são combinadas individualmente, em função do interesse e da disposição de cada visitante, de caminhar ao longo das imensas dunas. 

Dominando o litoral, acima do Parque das Dunas, situa-se o Farol da Mãe Luiza. Construído em 1951, sua torre de 37 metros e 150 degraus até hoje orienta os navios que aproximam do litoral. As casinhas em volta pertencem à Marinha, responsável pela operação do farol. Mesmo não sendo um lugar usualmente aberto à visitação pública fomos super bem recebidos pelos militares, que nos permitiram visitar o local.

Outra famosa instalação militar em Natal, esta administrada pela aeronáutica, é Barreira do Inferno, base de onde eram lançados os foguetes brasileiros até o governo Sarney, quando as operações foram transferidas para o Maranhão. O nome pouco convidativo surgiu graças às falésias onde foi construída a base, e que aparentam ser uma barreira para quem se aproxima pelo mar. Por estar situada próxima à linha do Equador, Natal sofre com menor intensidade os efeitos da força gravitacional, oferecendo assim condições físicas ideais para lançamentos de foguetes. Barreira do Inferno é aberta à visitação pública, mas a visita deve ser agendada com antecedência.

E falando em militares, você sabia que durante a segunda guerra mundial Natal sediou uma das maiores bases americanas fora da América do Norte? A razão é que, preocupados com uma eventual invasão nazista, e desejosos de possuir um ponto estratégico no atlântico sul, os americanos fizeram um acordo com o governo brasileiro, obtendo autorização para construir sua base em Natal. Depois da guerra a base foi abandonada, mas deixou algumas histórias curiosas, como por exemplo as festas organizadas pelos americanos, em que todos, inclusive brasileiros podiam freqüentar, conhecidas como 'For All' (para todos). Em pouco tempo, a expressão em inglês foi adaptada pelos brasileiros e deu origem à palavra 'Forró', tão comum até hoje. 

 

A foto ao lado parece uma imagem normal de uma árvore qualquer, não é? Pois não é. Mostrado na imagem está apenas um pequeno, ínfimo pedacinho desta árvore como não existe outra igual em todo mundo.

E quem for passear em Pipa não pode deixar de conhece-la. Ela é o Maior Cajueiro do Mundo, e situa-se em Pirangi. E ao chegar lá é impossível não ficar impressionado com este fenômeno da natureza. É uma árvore que cobre uma área de 8.400 m2, ou seja, maior que um campo de futebol. Você anda pelo meio daquela floresta, entre as raízes que adentram e saem do solo, se retorcendo à sua frente, sabendo que tudo aquilo é uma árvore só.

 

O crescimento anormal deste cajueiro plantado em 1888 deve-se a uma anomalia genética, o que fez com que, em vez de crescer ele se espalhasse lateralmente cada vez mais. Junto ao cajueiro há guias turísticos, que dão detalhe sobre esta árvore única no mundo.

Não deixe de subir na torre situada numa das extremidades do terreno, para ver todo o cajueiro de cima, pois somente lá de cima pode-se ter uma noção do tamanho e da área ocupada por este imenso ser vivo.

E como se não bastasse o espetáculo visual, a árvore ainda produz cajús normalmente, como todas as outras. A diferença é a quantidade produzida por esta aqui. Durante uma safra anual típica, a árvore produz aproximadamente oitenta mil cajus!

 

Genipabu, mostrada na imagem ao lado, é um dos lugares mais bonitos em Natal e que mais atrai turistas, graças à única combinação de imensas dunas, águas claras e mornas e lagoas cristalinas. Como o lugar não tem estradas, o passeio geralmente é feito em buggies. Os motoristas oferecem o passeio com ou sem emoção, conforme o turista prefira velocidades altas e manobras radicais, ou algo mais tranqüilo. Claro que quase todo mundo prefere o passeio 'com emoção', mas certifique-se que o motorista que vai lhe conduzir é credenciado, para evitar sustos além do necessário.

 

Uma opção adicional em Genipabu é passear de dromedário, animais que se adaptaram muito bem ao clima local. E o roteiro pelas dunas inclui ainda uma parada para apreciar a lagoa e o famoso skibunda, um tipo de surf que desliza pelas dunas até mergulhar no oceano. Mais uma atração é a cadeirinha suspensa por cabos, conhecida como 'Aerobunda', que mergulha na lagoa. Para aproveitar bem tudo que Genipabu oferece o ideal é passar o dia inteiro lá, mas não esqueça de usar muito protetor solar, pois fica-se o dia inteiro direto em baixo do sol.

 

A referência aos três reis magos é uma constante em Natal. Quem chega à cidade pela estrada principal passa ao lado deste monumento que lhes presta uma homenagem. Também em frente ao Shopping Natal existem três grandes esculturas iluminadas, representando Baltasar, Belchior e Gaspar. Nada mais natural para uma cidade fundada no 6 de janeiro, o Dia de Reis. E nada mais natural também que esta cidade fundada no dia em que o nascimento de Cristo era comemorado pelos três reis recebesse o nome de Natal. Afinal de contas, um lugar especial como este é sem dúvida um presente dos céus.

 

 

A música desta página é 'Vem Dançar Forró'. Para interromper sua execução clique em X (parar