Inicio
Aracaju
Belo Horizonte
Blumenau
Boa Vista
Brasilia
Campo Grande
Caxias do Sul
Curitiba
Florianópolis
Fortaleza
Gramado
João Pessoa
Joinville
Lençóis
Maceió
Manaus
Mariana
Natal
Olinda
Ouro Preto
Pantanal
Paraty
Pelotas
Petropolis
Porto Alegre
Porto Velho
Recife
Rio de Janeiro
Rio Branco
Salvador
São J. del Rei
São Luis
Teresina
Tiradentes

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 







 

 

 

 

De todas as capitais do nordeste, era sobre João Pessoa que menos conhecíamos alguma coisa, por isso chegamos lá curiosos e até mesmo ansiosos sobre o que iríamos encontrar pela frente. Seria um lugar bonito? Agradável? Valia a pena mesmo ir até lá? Entretanto, logo que o táxi que nos trazia da rodoviária circundou o Parque Solon de Lucena (ao lado), percorreu a Avenida Epitácio Pessoa e finalmente chegou até a Praia de Tambaú nossas dúvidas já tinham se dissipado completamente.

Ao chegar no hotel já tinha dado para perceber que a capital do estado da Paraíba é um lugar no ponto certo, e se existe alguma coisa que lhe falta é provavelmente divulgação turística, o que pode até ser uma vantagem. Afinal de contas, se muita gente viesse pra cá, esta cidade poderia mudar, e isto seria imperdoável. 

 Vídeo: Parque Solon de Lucena

Além de ser uma cidade no ponto certo, aprendemos com seus moradores que, considerando a área da cidade e o número de habitantes, esta é a segunda cidade mais arborizada do mundo. Os locais certos para se hospedar são a Praia de Tambaú (foto ao lado) ou Praia de Manaíra, onde estão os melhores hotéis, restaurantes, quiosques,e uma bela praia, ornamentada de ponta a ponta com muito verde. A foto ao lado foi feita a partir da cobertura de nosso hotel, mostrando o trecho sul da Avenida Cabo Branco, que faceia o litoral.

Vídeo: Praia de Cabo Branco

 

Depois de passear pelo litoral, o local certo para começar seu roteiro turístico é no Centro Histórico da cidade, na foto ao lado. Aqui, um minucioso trabalho de restauração vem sendo executado, de forma a preservar a arquitetura original destes sobrados, casarios coloniais e igrejas seculares. João Pessoa nasceu às margens do rio Sanhairá, e aos poucos foi crescendo na direção do mar. Entre os centros de cultura e restaurantes da região destaca-se, frente à Praça São Pedro, o prédio do Hotel Globo, construção de 1928.

 

Imagem feita da sacada frente ao Hotel Globo, que na verdade não é mais um hotel. Por aqui você vai encontrar guias mirins, como o simpático Magno, que nos veio até nós, e com sua simpatia, nos convenceu a nos acompanhar pelo resto do dia, dando um show de conhecimento sobre tudo da cidade. Entre muitas outras informações, aprendemos com Magno que João Pessoa é a terceira cidade mais antiga do país, fundada em 1585. Ao fundo, a igreja matriz de São Frei Pedro Gonçalves. Não deixe de visitar seu interior para apreciar de perto as relíquias e as antigas fundações da primeira igreja construída no mesmo local.

Vídeo: Centro Histórico

 

O litoral de João Pessoa tem praias belíssimas. Seguindo tanto na direção norte como na sul cenários fantásticos vão surgir à sua frente, nas praias do Amor, Tabatinga, Coqueirinho, Praia Bela, Tambaba (dedicada ao naturalismo), Tabatinga e Coqueirinho. A foto ao lado foi feita na Praia de Intermares, junto à escultura de uma tartaruga. Ela demarca uma das diversas áreas do litoral onde as tartarugas colocam seus ovos, enterrados na areia. Nesta manhã, por acaso encontramos com um grupo de jovens que percorriam as praias, identificando e protegendo os locais onde foram deixados ovos.

 

O Mercado do Artesanato Paraibano,mostrado ao lado, é o melhor local da cidade para encontrar tudo relacionado ao artesanato, confecções, lembranças e arte local. Está situado a pouca distância do Hotel Tambaú, este último, na verdade, um verdadeiro marco arquitetônico da cidade. Nas imediações deste hotel também existe uma feirinha de artesanato, que embora não tenha tanta variedade como Mercado de Artesanato, apresenta preços um pouco melhores. Depois, se você já estiver com fome, saiba que a gastronomia por aqui é super variada, e o difícil as vezes, é escolher um prato só. Se você quiser experimentar um pouquinho de tudo no mesmo lugar, nossa sugestão é ir até o restaurante Mangai, que oferece um imensa variedade de pratos típicos paraibanos, no sistema de quilo.

Vídeo: Mercado de Artesanato

 

Muito se diz que, de norte a sul,o Brasil se estende do Oiapoque ao Chuí, mas e de leste a oeste, onde começa o Brasil? Pois é aqui em João Pessoa. Aqui o sol nasce primeiro, não somente no Brasil, mas em todas as Américas. Graças à sua localização, bem naquela pontinha leste do Brasil, este é o ponto mais oriental do continente americano. Como diz a placa da foto ao lado, este é o extremo oriental (leste) das Américas.

 

No estremo oriental das Américas, local conhecido como Ponta do Seixas, está situado o Farol do Cabo Branco (foto ao lado), com longitude de 34º 47' 30". Para chegar lá basta seguir toda a vida pela Avenida Cabo Branco, sentido sul e em pouco tempo você chega num mirante de vista maravilhosa, de onde se pode descortinar o Oceano Atlântico e mais abaixo, as praias. O litoral de João Pessoa possui mais de 25 km de extensão, entremeando areias brancas e coqueiros aos rios e formações rochosas. As praias mais freqüentadas são Tambaú, Manaíra, Cabo Branco, Sol, Penha, Seixas e Bessa. A culinária paraibana também é um desafio e uma surpresa, e para quem vem do sul, o ideal é estar preparado para deliciosas novidades.

Que tal um camarão preparado com molho de coco, ao alho e óleo? Ou então ensopado de caranguejo ou de ostras? Ou ainda uma sempre elegante lagosta, ou caranguejo ou goiamum. Ou quem sabe uma buchada (picado das vísceras e intestinos de bode), baião de dois, carne de sol com macaxeira, paçoca e manteiga da terra. São tantas delícias que dá vontade de experimentar de tudo. E quanto chegar a hora da sobremesa, a gente fica até perdido entre suculentos e vistosos abacaxis, cajus, mangas, sapotis, goiabas, jacas, acerolas, umbus e siriguelas. Vixe cabra!

 

Ao lado, a fachada do Palácio do Governo (Palácio da Redenção), situado na Praça dos Três Poderes. Ao seu lado, situa-se o Mausoléu de João Pessoa. Outra bela praça da cidade é a Venâncio Neiva, construída em 1917, pelo presidente Camilo de Holanda. Na época ela tinha como função servir de ringue de patinação, e possuía ainda fontes e coretos. Reformada por João Pessoa, passou a contar com um elegante salão de chá, que até hoje a adorna, ganhando, graças à isto, o apelido de Pavilhão do Chá.

Depois de visitar as duas praças históricas, volte ao século 21 fazendo uma comprinhas, e não existe melhor lugar para isso em João Pessoa do que no ótimo Shopping Manaíra (Av. Flavio Ribeiro Coutinho 805). 

 

Um dos ícones arquitetônicos do centro de João Pessoa, o Paraíba Palace Hotel, pintado num amarelo marcante, foi um dos pontos nobres da cidade. Hoje ele desempenha funções menos aristocráticas, mesmo assim é impossível passar pelo centro sem perceber sua arrojante arquitetura em estilo art-noveau. Felizmente, o imóvel foi renovado e deverá em breve abrigar um moderno centro comercial, o Paraíba Palace Shopping. 

Mas quem quiser caminhar pelas ruas centrais, vai gostar mais do trecho que circunda o Parque Solon de Lucena. Este parque é uma das áreas mais bonitas da cidade. Em sua parte central há uma lagoa natural, cercada por árvores e jardins. Todo o projeto é de autoria do paisagista Burle Marx, e por ali ainda podem ser apreciados exemplares de árvores remanescentes da Mata Atlântica, assim com diversas palmeiras imperiais (foto 1 da página).

Nascida às margens do rio Sanhauá, João Pessoa foi crescendo até atingir o litoral. Entre estes dois extremos estão largas avenidas, pólos comerciais, elegantes prédios residenciais, grandes supermercados, locadoras de automóveis. Foi por aqui que encontramos a melhor churrascaria do nordeste, O Gauchão (Av Pres Epitácio Pessoa 3664), que tem delícias que nada ficam a dever em relação às churrascarias do sul. Mas se seu paladar prefere outros pratos, não se preocupe, pois as opções são várias. Turistas vão encontrar, principalmente na região próxima ao famoso Hotel Tambaú, dezenas de restaurantes servindo desde pratos típicos, pizzarias, fast food até cozinha internacional.

 

Não deixe de tirar uma manhã para conhecer a Fortaleza de Santa Catarina, situada em Cabedelo, litoral norte de João Pessoa. Fundada em 1589, logo após o tratado de paz celebrado entre portugueses e indígenas, ela tinha como objetivo principal defender a colônia contra ataques de franceses e holandeses. Mais tarde, durante o império, ela também desempenhou a função de prisão de inimigos políticos e até de execução de escravos revoltosos. A partir de 1974 começou a receber reformas, e hoje é uma visita interessantíssima. Em meio aos seus antigos canhões, turistas são recebidos por guias especializados, e podem aprender muita coisa sobre a história da Paraíba e sua colonização inicial.

 

O ponto de destaque do centro histórico de João Pessoa é o Centro Cultural São Francisco, um conjunto arquitetônico barroco construído no século XVII, constituído pela Igreja de São Francisco e o Convento de Santo Antônio. No convento está instalado o Museu de Cultura Popular, com peças religiosas belíssimas. Destacam-se os altares, revestidos de ouro, e o teto, onde um painel com 40 m de extensão retrata momentos da vida de São Francisco, com inserções de figuras locais da época.

A construção da Igreja de São Francisco foi iniciada em 1589, e ela é considerada um dos principais exemplos da arquitetura barroca portuguesa em solo brasileiro. Um majestoso Cruzeiro (foto acima) guarda o acesso ao conjunto, e recomenda-se reservar ao menos duas horas para visitar este lugar com calma. Veja outra imagem desta mesma catedral clicando em Igreja de São Francisco.

 

Merecem destaque dois passeios imperdíveis: Picãozinho, coral de recifes onde se caminha pela água, entre os peixes, e Areia Vermelha, banco de areia que forma uma espécie de ilha. Os dois ficam a cerca de um quilômetro da costa e são atingidos somente quando a maré está baixa. Diversas embarcações levam os turistas até estes dois locais, onde se permanece durante algumas horas, até a maré começar a subir novamente.

Em Areia Vermelha (foto ao lado) pode-se nadar, alugar óculos de mergulho para ver os peixes e corais, ou simplesmente tomar sol cercado pelo oceano. Lá são montados quiosques, oferecendo bebidas e quitutes. Durante os meses de verão, o lugar fica repleto de barcos, veleiros e jet-skis.

Freqüentemente grupos locais de forró, amadores ou profissionais se apresentam na praia para os turistas, oferecendo seus CD's. Um destes, que tivemos a sorte de assistir é o Trio de Flauta do Nordeste.

João Pessoa foi político, advogado, magistrado e presidente do estado da Paraíba. Na época (1929) era presidente do país Washington Luiz, num sistema conhecido como Política do Café com Leite, na qual os estados de Minas e São Paulo se alternavam no exercício da presidência. Num gesto desafiador, João Pessoa negou-se a apoiar este sistema, fato que iria contribuir para deflagrar a revolução de 1930. Este momento da história é até hoje lembrado também na bandeira da Paraíba, onde consta a palavra Nego. Como conseqüência do turbilhão político da época, João Pessoa sofreu um atentado e não resistiu, vindo a falecer em 1930. Em sua homenagem a cidade passou a ter, desde então, o mesmo nome de seu filho mais querido. Este monumento, situado a pouca distância do mausoléu de João Pessoa, junto ao Palácio do Governo, homenageia o vulto histórico mais importante da Paraíba.

Vídeo: Praça e Centro Administrativo

 

Quem acha que não há muito para ver em João Pessoa, com certeza sairá de lá pensando de forma diferente. Na verdade, diz um ditado que quem visita esta cidade, sempre acaba voltando, e para ficar. E dá para entender o ditado, porque João Pessoa é uma cidade bonita, sem ser grande demais, tem um clima privilegiado e um ritmo de vida sem estresse nem correrias, tão comuns em cidades maiores. Por isso, já decidimos: Se alguma dia resolvermos nos mudar para o nordeste, já sabemos onde iremo morar. Será com certeza em João Pessoa, ô cabra! Paraíba sim senhor, e com muito orgulho!

 

A música desta página é Homem com H. Para interromper sua execução clique em X (parar)