Inicio
Aracaju
Belo Horizonte
Blumenau
Boa Vista
Brasilia
Campo Grande
Caxias do Sul
Curitiba
Florianópolis
Fortaleza
Gramado
João Pessoa
Joinville
Lençóis
Maceió
Manaus
Mariana
Natal
Olinda
Ouro Preto
Pantanal
Paraty
Pelotas
Petropolis
Porto Alegre
Porto Velho
Recife
Rio de Janeiro
Rio Branco
Salvador
São J. del Rei
São Luis
Teresina
Tiradentes

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 







 

 

 

 

Brasília costuma dividir as opiniões de forma bastante radical. A maioria das pessoas a ama ou detesta. Os fãs dizem que ela é uma cidade inovadora, moderna e dinâmica, e que deveria servir de modelo para o resto do país enquanto outros afirmam que é uma ilha da fantasia, um lugar sem esquinas onde tudo é igual. O fato é que, independente de sua opinião, é impossível chegar à esta capital e não sentir uma sensação diferente, quando lembramos que aqui são traçados os destinos do país, e tudo que é decidido nestes prédios influi de uma forma ou de outra na vida de cada brasileiro. No fundo, para cada um de nós, conhecer Brasília é praticamente uma obrigação, para aí sim, decidir por si próprio, se esta é uma cidade para amar ou detestar.

   

Para nós, a primeira impressão que Brasília transmitiu foi de amplidão. Construída no coração do planalto central, onde os espaços parecem não ter fim, ela é um lugar onde tudo é grande e espaçoso. Grandes avenidas, grandes prédios e grandes distâncias. É uma cidade diferente de qualquer outro lugar do Brasil e certamente de qualquer outro lugar do mundo. Formas inovadoras e ousadias arquitetônicas erguidas num terreno completamente plano, como um tapete sem fim. Terra vermelha, grama verde e céu azul contra o ar seco.

Deixando o aeroporto e percorrendo a avenida W3 Sul rumo ao setor hoteleiro pegue o mapa de Brasília e dê uma olhadinha. Você vai perceber que Brasília assemelha-se a uma ave ou um avião, o que deu nome às suas duas partes principais: Asa Norte e Asa Sul. Unindo estes setores correm diversas avenidas, sendo a mais movimentada a W3. No centro das duas asas, perpendicular à Av. W3, situa-se o chamado Eixo Monumental, ao longo do qual estão situadas as principais construções de Brasília, como o Congresso Nacional (foto acima), Esplanada dos Ministérios (à direita) e a Catedral

 

Em termos turísticos, Brasília pode ser conhecida em poucos dias. O prédio em forma de pirâmide ao lado é o Teatro Nacional, um dos ícones arquitetônicos de Brasília. Próximo à ele situa-se o Terminal Rodoviário, coração pulsante e principal ponto de referência geográfico da cidade, situado exatamente na junção do Eixo Rodoviário com Eixo Monumental. Quem quiser caminhar um pouco e conhecer as principais atrações turísticas, pode começar deste ponto, e seguir pela Esplanada dos Ministérios, ladeada por imponentes prédios governamentais. À medida que seguir em frente, verá aproximar-se cada vez mais o ícone máximo de Brasília, representado pelas torres gêmeas do Congresso Nacional. 

 

Convém estar ciente, no entanto, que as distâncias em Brasília podem ser enganadoras, e freqüentemente o que parece estar próximo requer uma boa caminhada para se chegar até lá, ilusão causada pelos amplos espaços abertos da cidade. Lembre também que o clima quente e seco na maior parte do ano não favorece longas caminhadas sob o sol. Mesmo assim, são tantos os pontos importantes ao longo do Eixo Monumental, que é praticamente impossível para um turista resistir à tentação de percorrê-lo a pé e ir vendo de perto cada um daqueles locais tão famosos, que quase toda noite freqüentam os noticiários de televisão. 

Depois de atravessar a Esplanada dos Ministérios (foto abaixo) e fazer aquela tradicional foto em frente ao prédio do Congresso Nacional, siga em frente até a Praça dos Três Poderes, que ganhou este nome por estar ladeada pelas sedes do Poder Executivo (Palácio Presidencial), Legislativo (Congresso Nacional) e Judiciário (Supremo Tribunal Federal). Neste local, mais do em qualquer outro na cidade, pode ser sentida a genialidade dos projetos de Oscar Niemayer e Lucio Costa, pois a harmonia de suas formas, espaços e simbolismos criaram aqui um permanente poema arquitetônico, que integra-se com perfeição às formas humanas.

Ao lado, a Esplanada dos Ministérios, e ao fundo, o Congresso Nacional.

Como se sabe, o Palácio do Planalto é endereço de trabalho do Presidente da República, e em dias festivos você poderá ter a sorte de conhecer de perto a histórica guarda de honra formada pelos Dragões da Independência, que guarnecem a rampa da entrada. Também devem ser visitados, a pouca distância, o Panteão da Pátria, construído na forma de uma pomba, homenageando todos aqueles que deram suas vidas pelo Brasil, desde Tiradentes até Tancredo Neves. Em seu átrio podem ser apreciados o belo painel histórico, o vitral de Marianne Peretti e o Livro de Aço dos Heróis Nacionais. Veja ainda o Memorial JK, criado em homenagem ao idealizador de Brasília, Juscelino Kubitschek. 

Para deslocamentos maiores, fora da região central de Brasília, você precisará de transporte. Embora a cidade seja bem servida de ônibus, alguns pontos turísticos nem sempre fazem parte dos roteiros principais, assim é aconselhável alugar um carro ou contratar um pacote turístico de visita aos pontos turísticos mais afastados. Um destes é o Palácio da Alvorada, residência oficial do presidente da república. Outro local muito lembrado é o Lago Paranoá, criado artificialmente para aliviar o ar seco, e que logo transformou-se em point de esportes aquáticos. Ao longo de suas margens estão diversas mansões, embaixadas, shoppings e belas residências. Visite também o Parque Sarah Kubitschek, que dispõe de ciclovia, pista para velocípedes, pedalinhos, caiaques de aluguel, e diversas outras atrações tipicamente domingueiras. Ao lado, imagem noturna da moderna ponte Juscelino Kubitschek, que cruza o lago Paranoá.

"Deste planalto central, desta solidão que em breve se transformará em cérebro das altas decisões nacionais, lanço mais uma vez o olhar sobre o amanhã de meu País, e antevejo com fé inquebrantável e confiança inabalável, o grande futuro!" (Juscelino Kubitschek de Oliveira

Ao fundo o Palácio do Planalto, e em primeiro plano a escultura Os Candangos, uma das mais conhecidas de Brasília. Não deixe de conhecer também o Santuário de Dom Bosco, onde em 1889, este religioso teve uma visão sobre a construção de uma cidade futurística que iria no futuro tornar-se um centro da paz mundial.

Depois passe no Catetinho, que serviu como palácio presidencial antes da inauguração do Palácio do Planalto. O nome Catetinho faz referência ao Palácio do Catete, localizado no Rio de Janeiro, e que antes da mudança da capital para Brasília serviu como residência oficial do chefe de estado da Nação. E não esqueça de passar também pelo imponente prédio do Teatro Nacional, maior conjunto arquitetônico realizado por Oscar Niemeyer em Brasília.

 

Para compras uma ótima opção é o Brasília Shopping, prédio com arquitetura inovadora e linhas curvas, ousado como a própria cidade. Já um endereço tradicional, mas seguramente um dos melhores da cidade (foi o primeiro centro comercial construído em Brasília), é o Conjunto Nacional, situado bem no centro, praticamente em frente à rodoviária. Outros destacados pontos comerciais são o Park Shopping, Pátio Brasil e Liberty Mall. Quem estiver a procura de um lugar agradável para um chope ou papo agradável, pode ir direto para o Pier 21. Lá estão restaurantes, cinemas, bares e casas com música ao vivo. Ao lado, uma imagem da Esplanada dos Ministérios feita a partir da torre de televisão da cidade, o ponto mais elevado de Brasília.

 

Ao lado, a Catedral da Cidade, construída em formato circular e dotada de painéis de vidro apoiados em 16 pilares em formato de parábolas. Pendendo do teto podem ser apreciadas três grandes esculturas representando anjos. Também frente à catedral situam-se quatros esculturas gigantes dos evangelistas, como a guardar o acesso. Para vistas panorâmicas de Brasília, o local ideal é a Torre de Televisão. Ela está situada próxima à junção do no Eixo Monumental com a avenida W3, e de seu mirante visitantes podem apreciar melhor a forma das duas Asas da cidade. O local é especialmente indicado ao por do sol, oferecendo ainda um restaurante no primeiro andar e uma feirinha de artesanato no térreo, aos fins de semana. Prepare-se para enfrentar filas no acesso ao elevador, se sua visita for num fim de semana.

 

Sim, esta é aquela foto tradicional que nenhum turista em Brasília pode deixar de fazer, em frente ao Congresso Nacional. Durante os fins de semana costuma ser oferecido um tour grátis de uma hora de duração pelo interior do prédio, que permite aos visitantes conhecer os salões da Câmara, Senado, e diversos outros aposentos do conjunto. Uma outra característica da cidade, bem menos apreciada pelos visitantes, são seus endereços. Esqueça aquela história de ruas e números. Tudo em Brasília é diferente, a começar pelos setores da cidade, como por exemplo setor comercial norte, comercial sul, setor de diversão norte, setor de diversões sul, setor hoteleiro norte, setor hoteleiro sul, setor de autarquias, etc. 

 

Um típico endereço de Brasília seria CLS 201 bl A lj 33, ou então SHN Q02 Bl O, ou ainda SCN Quadra 4, bloco B, torre A, onde cada conjunto de letras representa um determinado setor. Neste cenário, o elemento mais presente é conhecido como 'Superquadra', inovador conceito urbanístico segundo o qual cada uma destas unidades ofereceria a seus moradores comércio e entretenimento, sem necessidade de ir muito longe, algo que infelizmente não funcionou tão bem na prática como na teoria. Ao lado, vista aérea de algumas super quadras.

 

Brasília foi projetada, construída e inaugurada com dois objetivos bem definido: Ser a nova capital do país e permitir a interiorização de uma nação presa ao litoral. O autor desta façanha épica foi o presidente Juscelino Kubitschek, que enfrentou uma avalanche de críticas, mas mesmo assim transformou a construção da nova capital na prioridade máxima de seu governo. Originalmente, o projeto previa uma cidade para um máximo de 500 mil habitantes, sem sinais de trânsito ou congestionamentos. Na prática, porém, as coisas saíram um pouco diferentes, e hoje a população da cidade se aproxima dos dois milhões de habitantes. Ao lado, monumento na entrada do memorial-museu em homenagem a Juscelino Kubitschek, onde está também sua sepultura.

A melhor época para visitar Brasília é entre abril e junho, quando o clima não é tão seco. Quem se dispuser ir mais além da capital federal e visitar as outras atrações da área deve ir até a Chapada dos Veadeiros, situada a 250 km de Brasília. Consiste numa área de proteção ambiental, abrigando riquíssima fauna e flora, rios, cascatas e rochedos. O Parque Nacional dos Veadeiros dispõe de um centro de visitantes, sendo que para desfrutar melhor a visita, o ideal é que ela seja acompanhada por guias, os quais podem ser contratados por preços bem razoáveis nos povoados vizinhos de Alto Paraíso ou São Jorge.

 

Mas ao visitar Brasília e extasiar-se com sua magnífica arquitetura, é impossível não lembrar também da política que dela irradia, e imaginar quando a grande maioria dos políticos de Brasília deixarão de estar tão distantes das mazelas do país à sua volta. Brasília é reconhecida em todo o planeta como um expoente máximo da arte arquitetônica, e hoje, suas linhas e formas tornaram-se ícones universalmente identificáveis. Mas a verdade é que isto ainda não é suficiente. Todos nós brasileiros desejamos mais: Que Brasília faça jus aos mais profundos ideais de seus criadores, das esperanças de um povo e de toda uma orgulhosa geração de Brasilienses, que nasceu e vive nesta bela cidade. Em Brasília estarão sempre todos os olhos e esperanças da nação.

Vídeo: Decolando de Brasilia

 

A música dessa página é 'Brasília', de Guilherme Arantes. Para interromper sua execução clique em X (parar.  

Ah, Brasília...
Loucos profetas previram a tua existência milênio atrás,
e nos seus mapas marcaram o centro do mundo e nele tu estás.
todas as lendas que cercam teu nome jamais lograrão te explicar,
nem a política, nem o teu preço que foi tão penoso pagar.
Tuas cidades satélites mostram o quanto és uma aberração,
vivem à margem da tua luxúria onde corre o poder da nação.
seitas estranhas proclamam que o teu destino ainda não se cumpriu,
rezam a vinda dos anjos de estrelas cadentes no céu do Brasil.
És a vitrine imponente e ostensiva de um povo que vive a sonhar,
com seu império futuro, tesouro,presente que Deus vai mandar
Ah, Brasília..